Cientistas, micróbios e ar livre

09.01.2019

Andar na rua, passear em matas, praias, jardins, visitar quintas e tantos outros espaços ao ar livre, podem ser bons propósitos para o novo ano. Os benefícios são mais que muitos. Conseguimos estruturar três ordens de razão para andarmos com miúdos ao ar livre, e ainda uma quarta razão que acaba por ser transversal a todas as outras. Mas vamos por partes.

 

Quinta do Pisão - Espaço sempre aberto, gratuito (https://www.cascais.pt/equipamento/quinta-do-pisao-parque-de-natureza)

 

Em primeiro lugar percebemos que as crianças são pequenos cientistas! Por elas, ficam a saber que há certos bichos que precisam do escuro para viver (basta espreitar a terra) e que muitas vezes acabam por ser a refeição de uma pássaro que passa! Por elas, ficam a saber que as plantas precisam de água e luz para viver. A verdade é que a observação e a participação na realidade revelam todo o conhecimento necessário na infância. Em contacto com a realidade, as crianças dão significado aos ciclos da natureza. Elas tornam-se, naturalmente, participantes do seu conhecimento.

 

 Parque Biológico de Gaia: https://www.parquebiologico.pt/

 

 

Mas ganham muito mais do que conhecimento. Ganham, e essa é a nossa segunda razão, micróbios! Sim, ganham micróbios que tanta falta fazem ao nosso sistema imunitário. Nos primeiros anos de vida desenvolve-se uma parte crítica do nosso sistema imunitário e, talvez por isso, vemos com tanta naturalidade uma criança a brincar na terra.[i] Esta procura de defesas está inscrita nos nossos genes. E nós todos, pais e educadores, somos responsáveis pelo desenvolvimento saudável de uma criança.

 

A partir de quando é que ficámos tão vulneráveis a anúncios comerciais, ao ponto de achar necessário comprar aquele sabonete antibacteriano? Assim se vê como o medo e o desconhecido tomam conta de nós.

 

Será que entre a brincadeira e o momento de comer a fruta ou um pão que se traz num piquenique, as crianças têm que lavar as mãos? Que tal sacudir nos calções ou na t-shirt, e toca de comer?

É tempo de se começar a travar este modelo assético de sociedade. Tentemos seguir este caminho.

 

 

(continua…)

 

[i] Arrieta, Marie-Claire e Finlay, Brett . Deixe-os Comer Terra, Matéria Prima, 2016

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

ser parte da história

SER PARTE DA HISTÓRIA é um serviço da associação Caminhos da Infância que tem como objetivo apoiar os pais e outros cuidadores, disponibilizando informação, aconselhamento e formação sobre parentalidade. 

Não se pretendem dar receitas (até porque não existem) mas sim informação e apoio para ajudar todos os cuidadores a ser parte de uma história que não se repete - a da infância. 

quem somos
associação
contactos
posts recentes
Please reload

arquivo
Please reload

quem somos

inês poeiras

  • Grey LinkedIn Icon

Presidente da Caminhos da Infância

francisca carneiro

  • Grey LinkedIn Icon

Diretora do Centro Infantil Maria de Monserratre

joana nunes patrício

  • Grey LinkedIn Icon

Coordenadora Ser Parte da História

Mais do que uma associação, somos um grupo a trabalhar para que a infância seja uma experiência feliz para todas as crianças.

Trabalhamos em parceria e juntamos a investigação à experiência, que é como quem diz,

andamos da teoria à prática e da prática à teoria.

Descobrimos que não se mudam comportamentos só com extensos artigos académicos ou grandes ações de formação.

Mudamos comportamentos quando estamos envolvidos. Quando somos parte da história. E isto fazemos bem.

Contactos

tlf. 21 136 85 14

caminhosdainfancia@gmail.com

Rua Margarida de Abreu, nº4, 1900-362, Lisboa

  • Facebook - White Circle
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now